segunda-feira, 30 de julho de 2012

Para se divertir não precisa beber.

É verdade quando estamos na ativa, ou mesmo os alcóolicos casuais, pra contar uma história sempre começa assim. "Ontem sai bebi todas, fiz e aconteci", infelizmente o álcool está associado a diversão.

domingo, 29 de julho de 2012

Artigo / O álcool e as festas de formatura

Estamos em época de formaturas que é um sonho se concretizando motivo de felicidade para toda a familia que muitas vezes pode se tornar um pesadelo por causa do álcool, por isto ao ler este artigo resolvi compartilhar com vocês.


"É cada vez mais precoce o início do uso do álcool por nossas crianças e adolescentes. Na família é onde tudo começa. Costuma-se aliar sentimentos de felicidade e de comemoração com o uso da bebida alcoólica. As crianças, desde cedo, são testemunhas presenciais deste binômio. Na escola, ao concluírem o ensino fundamental e médio, as festas de comemoração são uma constante. Por ação do Ministério Público, em Porto Alegre, desde 2009, um termo de ajustamento de conduta veda o uso de álcool nas festas de formatura, seja do ensino fundamental ou médio. Iniciativa semelhante também foi adotada pela promotoria de Santa Maria e Passo Fundo, dentre outras. Parecia solucionado o impasse, quebrando-se com o costume de aliar comemoração e álcool para os mais jovens.
No entanto, proibido o uso do álcool nas festas, passou-se a facilitar o seu uso pelas crianças e pelos adolescentes antes de chegarem ao local da festa. Encontros na casa dos pais e nos salões de festas de condomínios servem para esquentar e preparar o clima de comemoração, regado à bebida alcoólica.
Mesmo sem bebida alcoólica nos salões de festas, nossos jovens já chegam sob o efeito do álcool, por vezes, levados pelos próprios pais.
Buscando trabalhar a prevenção, através da conscientização da família, da sociedade e do poder público sobre os malefícios do uso precoce, instituiu-se, em 25 de outubro de 2011, por iniciativa do Ministério Público, o Fórum Permanente de Prevenção ao Uso e a Venda de Bebida Alcoólica por Criança e Adolescente, reunindo inúmeros parceiros em torno desta causa. Escolas, Secretaria Municipal de Indústria e Comércio de Porto Alegre, Polícia Civil, Brigada Militar, EPTC, organizações não-governamentais e diversos profissionais reúnem-se, todos os meses, para tratar do tema. Mais recentemente, foram criados dois grupos de trabalho. O primeiro, composto por quatro escolas particulares e grupos de pais, está se dedicando a traçar um projeto piloto de prevenção e cuidado para as formaturas de final de ano (2012); o segundo, formado pelos profissionais da comunicação do Ministério Público, escolas e demais parceiros, desenvolve proposta de envolvimento da sociedade com a causa.
São sementes que estão sendo lançadas por representantes de pais, profissionais da educação, saúde, segurança e justiça que acreditam na possibilidade de romper com o modelo imposto e cuidar melhor da infância e da juventude. As adversidades são grandes, os interesses econômicos maiores ainda. O espaço de reflexão e de ação é novo e precisamos fortalecer nossas ações se queremos um mundo melhor. Junte-se a nós!"

Procuradora de Justiça, professora na Faculdade de Direito da PUCRS
MARIA REGINA FAY DE AZAMBUJA  
Texto retirado: Opinião ZH de 20 de junho de 2012 
 
 

segunda-feira, 23 de julho de 2012

ENFRENTE SEUS DESAFIOS.

Depois da minha última postagem, deixei muita gente preocupada, e muitas pessoas com certeza de que eu teria uma recaída. Mas eu não escrevi aquilo com a intenção de deixar alguém preocupado, até porque se eu fosse fazer eu não viria aqui avisar. Eu escrevi aquilo para mostrar realmente o contrário, que apesar de todas as dificuldades pelas quais estou passando, estou suportando bem. E são dificuldades externas que não dependem só de mim para serem resolvidas, e acabam refletindo de alguma maneira no meu humor, porque as vezes é uma coisa tão fácil de resolver, mas a má vontade, o egoísmo, talvez até a inveja de outros, acabam influenciando no de alguma maneira em minha vida, principalmente no trabalho, onde de uns tempos pra cá parece que estão fazendo de tudo para que eu exploda, parece que estão testando os meus limites. Só um exemplo tenho trabalhado até sem fazer intervalo, apesar de ser ilegal, e eu mostrar que tem como montar uma escala, possível para que todos façam seu intervalo, eles não se interessam e continuam a me deixar, mais precisamente sem meu almoço, não é todos os dias, somente nos finais de semana, mas aí fica a pergunta porque sempre eu? Comecei a tentar obter respostas, tanto com o meu chefe imediato, tanto com o RH, mas ninguém pode me atender a dias, e isso começou a acumular uma raiva dentro de mim, comecei a ficar muito irritado, e hoje procurei novamente essas mesmas pessoas e novamente não fui atendido, fiquei tomado de uma raiva, que queria fazer um tumulto, mas não fiz, liguei para a minha psicóloga e marquei uma consulta para a primeira hora da tarde, claro não resolveu o problema, mas não briguei com ninguém, não usei drogas. Falando com a minha Psicóloga, comentei com ela que era interessante a situação, que toda essa raiva canalizada, essa irritação, me fez notar uma coisa, claro que me lembro da droga, que esse é o momento ideal para uma recaída, mas não conseguia mais me ver naquela situação, locão, enfiado em uma boca. Ontem fui ao cinema com minha esposa para ver se relaxava um pouco, e na volta vinha um Sr. com os seus 50 e poucos anos completamente bêbado, e sua esposa sempre um pouco mais à frente, fiquei pensando, por quantos anos será que ela já passa por essa situação? Mas como eu vejo agora, é uma questão de escolha? Talvez, eu não posso julgar, eu não os conheço, não o que aconteceu nestes anos todos em que estão juntos. Mas pelo rosto dela, não estava muito satisfeita. Eu fiz dois tratamento completos, estudei os doze passos, achava que sabia. Como já comentei no primeiro fiquei três anos em pé, mas a minha auto suficiência me derrubou, fiz outro, achei que desta vez daria certo. Resultado: não fiquei três meses em pé, aí foi várias internações. No décimo segundo passo fala em despertar espiritual, eu achava que algum anjo, uma luz, algo de outro mundo iria acontecer e me dar serenidade para suportar a minha doença, que Deus em pessoa, sei lá, algo muto especial, afinal de contas é um "despertar espiritual", talvez virasse um monge, hehehehehehehehehehehe, mas não é nada disso, quando compreendi, na minha maneira de ver (cada um tem a sua), foi muito simples. Foi só aceitar quem realmente sou, com meus defeitos, e que tenho qualidades, aceitar a minha doença, aprendi que faço parte de um todo, que não estou sozinho, que todos nós somos um Universo que nos completamos, que temos que nos colocar no lugar dos outros, que temos capacidade de reverter a situação, e que temos um PODER SUPERIOR SEMPRE OLHANDO POR NÓS, QUE O UNIVERSO CONSPIRA A NOSSO FAVOR.
Um abraço, até a próxima.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

ALERTA.

Bom pessoal como vocês perceberam fiquei um tempo sem escrever nada, mas postei alguns textos relacionados a minha doença. Estou próximo a completar dois anos limpo, (sei que tem algumas pessoas que dizem que não se deve contar o tempo que se está limpo, mas eu gosto porque cada dia é uma vitória, e se eu consegui neste dia eu consigo no outro). Já escrevi tanta coisa que não lembro se falei que já tive uma experiência de ficar três anos limpo. Bom o que interessa aqui, é que nesta época que recaí, fiquei muito auto confiante e não prestei atenção no que estava acontecendo ao meu redor, como já estava a tanto tempo em pé pensei que nunca mais fosse usar novamente. O que acontece é que fui recaindo em atitudes e não fui percebendo. Comecei a me permitir fazer coisas que não fazia, comecei a dar uma passadinha no bar para falar com os amigos depois do serviço, e o resto da história vocês já sabem.
O que aconteceu nestes últimos dias é que me percebi diferente, a rotina começou a me incomodar, o trabalho começou a me deixar irritado, até que eu cheguei e falei pro meu colega de trabalho. Já sei o que tá acontecendo comigo, está me batendo uma compulsão, sabe aquela vontade de fazer alguma coisa, que geralmente as pessoas não sabem o que é, mas no meu caso eu sei muito bem.
E mesmo já tendo esta experiência demorei um pouco a perceber, mas é assim que vem a recaída principalmente pra quem já está a algum tempo em pé. Como já está a um certo tempo sem usar, começa a parar de prestar atenção nos alertas que aparecem, como uma simples irritação. Como já disse, a gente não recaí em uma rocha, a gente recaí em um grão de areia, por isso é muito importante tentar estar o máximo possível em alerta não com os outros, mas consigo mesmo, somos nossos maiores inimigos.
Um forte abraço! Até a próxima.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Tudo que vicia começa com C.

REPRODUZO AQUI UM TEXTO MUITO INTELIGENTE (PRA VARIAR), DE LUIZ FERNANDO VERÍSSIMO.


        NUNCA ESQUECENDO QUE O DESTINO DO DEPENDENTE QUÍMICO SÃO TRÊS Cs,
                                            "CLÍNICA, CADEIA, OU CEMITÉRIO."

sábado, 7 de julho de 2012